12 de Junho – Uma data para pensar em criança e adolescente

  • Home
  • Blog
  • 12 de Junho – Uma data para pensar em criança e adolescente

Desde 2002, o dia 12 de junho, foi instituído pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), ligada a ONU, o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil.

Adotada em 2007, a mesma data, como Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil no Brasil, sabe-se da importância dessa luta internamente.

Se ela é levada a sério… não tanto quanto deveria! Essa é uma luta que devemos encampar com mais afinco, pois sabemos dos alarmantes números que o Brasil ainda carrega em relação à esse problema social muito grave e que impede de 6% da população na faixa etária entre 5 e 17 anos (segundo dados de 2016 do Pnadc) de terem uma infância e adolescência sadia, lúdica, e no devido lugar.

Se falarmos das cicatrizes que o trabalho infantil traz para as crianças e adolescentes que passam por isso, em diversos aspectos, estão:

  • físicos: fadiga excessiva, problemas respiratórios, lesões e deformidades na coluna, alergias, distúrbios do sono, irritabilidade;
  • psicológicos: os impactos negativos variam de acordo com o contexto social do trabalho infantil;
  • educacionais: baixo rendimento escolar, distorção idade-série, abandono da escola e não conclusão da Educação Básica.

Esse ano, a campanha trouxe aos olhos o risco do crescimento do trabalho infantil motivado pelos impactos da pandemia do novo coronavírus. Com o slogan “Covid-19: agora mais do que nunca, protejam crianças e adolescentes do trabalho infantil”, a campanha nacional está alinhada à iniciativa global.

O pensamento é realizar um debate de forma mais ampla, não só a partir da perspectiva da saúde pública, mas também a partir dos impactos negativos, que a pandemia trouxe, para a vida de milhões de crianças e adolescentes no trabalho infantil e suas famílias. Os fatos e os números aí se impõem! sabemos como as coisas se dão, a questão é como mudá-las. Não se pode pensar que essa é uma luta que tem partido, tem direcionamento, ou qualquer frente, enquanto não houver união em torno da causa, entender que se trata das crianças brasileiras, da defesa dos direitos humanos, do ECA, todos estarão desprotegidos, inclusive o nosso futuro enquanto nação!   

Tags:
Deixe um Comentário